Archive for the ‘Garoto Imbecil’ Category

a gente foi deixando umas coisas pra depois não por maldade, a gente só tem uns descuidos  que parece que vai tirando parte da gente e dai quando vamos tentar juntar tudo de novo já faz tanto tempo que a gente tem medo de não fazer mais sentido. como segurar fumaça com as mãos como […]


a casa

01ago17

ficou tudo um pouco fora de lugar na verdade foi uma barulheira só, arrastamos os móveis e eles rangiam no chão da sala como se fossem trovão. temporal mesmo é o que caía lá fora, e bagunça da minha cabeça que só queria um dia de sol. acontece que a gente se acostuma. seja com […]


foi um sopro que bagunçou seu cabelo que pintou a tarde de laranja e cor de rosa, deixando o sol mais perto da nossa pele e fazendo doer todos os nossos ossos. pela primeira vez nessa vida me vi fazendo planos que não voassem 2 mil metros de altura.  eu escrevi um poema que falasse […]


quando o frio de julho começa a me acordar de madrugada minha barriga já vira do avesso e eu começo à olhar todos os números do calendário, que parece correr cada vez mais depressa e gritar comigo e falar sobre todo tempo que eu já perdi na minha vida e sobre como eu envelheço sendo […]


foi quando o tempo desenhou a poeira da velocidade dos dias  no porta-retrato da sala, dos amigos que cresceram tão depressa dos anos que parecem mais curtos, como todo fim de maio que a gente risca na parede até o dia de te ver de novo.  foi quando minha barba começou a crescer e me […]


se perdeu a direção se esqueceu o que é o amor se cantou mais forte o refrão se só ficou, admirando a solidão… não esquece onde se encontra nem aonde quer chegar, procure quem mesmo em silêncio possa te acalmar.. abri os olhos sem nem dormir e a tarde já tinha vindo te buscar, foi […]


nunca me dei bem com coisas que pudessem quebrar, por isso então fiz proteção do seu nome, almofadas aos seus pés e te enrolei num cobertor pra que nenhum mal pudesse te atingir. nunca me dei bem com coisas que ficam pela metade, como dores que não sangram e amores que se cortam pela raiz […]