Precisamos falar sobre “Começou”, o primeiro cd da Cogere, que me surpreendeu de verdade

04out15

Alô.
Faz um tempão que eu não faço um texto assim – o último foi do primeiro cd do Esteban eu acho – e muita coisa mudou, eu comecei a escrever no Termômetro Oscar e toda a minha cota para textos mais formais acaba sendo direcionada para lá.
Mas, acordei hoje e decidi que esse trabalho merecia um destaque aqui comigo.

cog

Então, vamos falar sobre “Começou”, o primeiro quase álbum da Cogere (quase porque tem 7 músicas e ai eu fico em dúvida entre chamar de EP ou CD).

Primeiro eu peço desculpas pela demora, eles lançaram o álbum faz uns 15 dias já, mas eu tava sem tempo para apenas sentar e ouvir e se eu fosse escrever, eu queria realmente conhecer todas as músicas. Então, entre falar sobre o cd ou sobre a estreia do filme novo do Spielberg no Festival de Nova York, achei que deveria fazer esse primeiro.

Bom, COGERE é uma banda que vive entre Brotas e Torrinha e faz um tempo que tá por aí, gravaram um clipe, lançaram duas músicas um tempo atrás e, se eu tento publicar um livro e tô na faculdade de cinema e sei que esse mundo não é fácil, imagino que pra levar uma banda deva ser tão difícil quanto.
Sem mais delongas, serei o mais sincero que eu puder, “Começou”:

MÁQUINA DO MAL: foi dessa música que fizeram um clipe no ano passado e acabou sendo um trabalho muito legal e que eu participo em alguns segundinhos. É a música mais pesada do disco todo e confesso que acabou sendo a que eu menos gostei. Não que seja ruim, longe disso, é que na minha cabeça o cd tem uma temática e ela acabou um pouco fora. Então acabei ouvindo ela bem menos do que as outras. Mas gosto muito da ideia de ser a história de um cara que encontrou o diabo.

A segunda música é MARÉ ALTA e ela acabou entre as minhas favoritas, não que eu tenha achado uma que eu mais goste, mas se for pra escolher três, essa com certeza vai estar no meio. O refrão é ótimo e você vai continuar cantando por algum tempo depois, na verdade, to cantando agora… “me joguei ao mar, para te salvar. As tempestades costumam não falhar…” Se fosse para colocar alguma música para tocar na rádio por aí, eu com certeza acabaria mandando essa.

EM CHAMAS. Que música é essa? Gente. A letra é muito boa! Daqui eu imagino que talvez seja a música do cd que provavelmente as pessoas menos vão gostar, mas é porque é muito fora do comum e isso é ótimo! Acaba soando como uma música tão pesada quanto a primeira, mas é mais pelo peso da letra do que pela música em si.
Ah, e ela não tem refrão e eu gosto muito de músicas sem refrão. Por favor, deem uma chance para essa, ouçam duas vezes.

COMEÇOU. Preciso lembrar de perguntar para o Silas porque essa acabou como a quarta música. Devia ser a primeira. Ou não. De qualquer forma ela tá bem por aí, acho que serve como divisora do cd, com um instrumental bonito e meio que dando uma direção do que está por vir (“…o outono já chegou, vai passar pelo jardim…”) e do que já passou (“…a maré subiu, a fogueira se apagou…“).
Enfim, é bem bonita, como uma calmaria depois da tempestade, as três músicas anteriores eram bem fortes.

Agora vem OUTONO BOREAL, já falei várias vezes para o Silas o quanto eu queria que essa música virasse um clipe. Para mim ainda é uma das melhores. Tem uma letra ótima, um refrão muito bem montado e nada clichê. Na verdade, isso é ótimo, o Silas me contou uma vez que é sobre o amor entre uma flor e uma árvore, ou qualquer coisa assim e eu acho tão genial que isso até hoje fica pela minha cabeça.
Por favor, façam um clipe dessa música, ou eu mesmo vou acabar fazendo, filmando umas flores aleatórias por aí. Essa música merece todo destaque da vida!
Ah, e a guitarra no último refrão antes da música acabar, ficou demais! Sério. Eu ficava voltando no celular só para ouvir essas guitarras no fone de ouvido.

JARDIM. Eu conheço essa música faz um tempão, mas eu nunca tinha entendido a letra toda. Então preciso começar falando que uma das coisas que de longe eu mais gosto na banda, é que suas letras passam muito longe das rimas óbvias. Como assim, Danilo?
Pega qualquer banda de sucesso atual, dá uma olhadinha na letra e veja que quase todas as músicas seguem aquele padrão de rima aonde a segunda linha sempre vai rimar com a quarta. Mas isso quer dizer que não pode ter rimas? Claro que pode, as rimas deixam um pouco mais fácil e mais sonoro, mas rimar ela com janela toda vez é muito irritante.
E a Cogere foge muito bem dessas rimas enjoativas. E JARDIM é uma ótima prova disso. Tem rimas? Sim, mas são muito boas! Essa letra é ótima! O instrumental também é ótimo, com uma guitarra que acompanha a música toda e soa bem no ouvido, para fazer um solo marcante no final.
Ah, e não sei se foi proposital, mas ficou legal que no refrão fale sobre “…ser as suas asas e sobre o mar poder voar…”, na hora já voltei para a segunda música, como se no mesmo mar que antes os afogasse na ‘maré alta’, agora vira paisagem, para eles sobrevoarem…
E o finalzinho, terminando com um assovio da melodia, ótimo, muito bonito mesmo, de verdade. Essa é das melhores músicas também.

ATMOSFERA. Por fim, a última música. Sou mal acostumado com últimas músicas. Bandas como Zander, Fresno ou Fall Out Boy, costumam terminar os discos de forma grandiosa, com uma das melhores músicas do álbum todo. Então todo cd novo que eu pego, sempre espero algo grande na última.
E ele já começa cantando “Quando Zeus acordar…” na hora eu já pensei: não serei decepcionado!
E não fui mesmo. Essa música tem um pouco de tudo do cd, é mais pesada, guitarra marcante, o baixo não para, uma letra forte, bem feita e que acaba te atingindo lá dentro, no peito.

Ouçam aqui embaixo e baixem e tudo mais:

http://www.cogere.com.br/

Então o cd termina e você fica orgulhoso, porque conhece os caras, sabe o quanto eles batalharam pra isso e que é um puta álbum! Eu não falaria se não fosse, não estaria acordado no domingo às 10h da manhã escrevendo isso, se não valesse a pena.
Ouçam então, ouçam muito, tratem de ir no show deles. E me ajudem, peçam um clipe da ‘Outono Boreal’.
E é isso, eu nem falei para o Silas que estaria escrevendo sobre o cd, mas espero que esteja tudo ok. E reforço aquilo que sempre digo, vamos fazer algum trabalho juntos ainda, seja gravar um clipe, um dvd sei lá, mas tenho certeza que faremos e que vai ser grandioso!

Anúncios


No Responses Yet to “Precisamos falar sobre “Começou”, o primeiro cd da Cogere, que me surpreendeu de verdade”

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: