esse poema é como um daqueles bilhetes que a gente deixa colado na porta da geladeira quando a gente acorda cedinho, e não quer acordar ninguém, mas que precisa mesmo que a pessoa saiba disso

05mar15

…e se você chegasse mais perto
eu poderia fazer um poema sobre suas cores
deixa eu te mostrar uma música
e te falar sobre as pessoas que eu conheci hoje

que muito provavelmente eu conheci pra te contar depois,
você me conta do seu dia
e vamos rir sem motivo aparente,

faríamos como aqueles casais mais antigos
eu seguraria sua mão antes da noite acabar.
olha, você tem um sorriso bonito
e eu gosto de ficar olhando os desenhos do seu rosto,
principalmente a careta que você faz
quando eu falo alguma bobagem.
você é realmente agradável
acho que eu quero te apresentar para os meus amigos
então não se assuste
– e eu sei que falar isso sempre 
torna tudo mais assustador –
mas agora, eu só queria que você chegasse mais perto
eu poderia fazer um poema sobre suas cores
mas antes disso
antes de eu fazer tudo aquilo 
que me torna demasiadamente estranho,
deixa eu te falar, pode ser bobagem da minha cabeça
mas, muito provavelmente, eu dormi melhor
por ter sua voz me fazendo companhia
e me chamando durante o dia.

Anúncios


No Responses Yet to “esse poema é como um daqueles bilhetes que a gente deixa colado na porta da geladeira quando a gente acorda cedinho, e não quer acordar ninguém, mas que precisa mesmo que a pessoa saiba disso”

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: