OS TROVÕES

13nov14

se é verdade que a vida vai nos decepcionar
eu abdico dos planos que tenham feito sobre mim
pode guardar as roupas no fundo do armário
e vamos colecionar objetos que encontrarmos pelo caminho.
se tudo isso mesmo não passar de um sonho
então faremos barcos de papel com jornais antigos
e vamos nos perder em qualquer azul
o vento vem do norte e já é hora irmos também.

então ela disse que o amor vinha depois da tempestade
e que deveríamos nos segurar agora
os trovões às vezes fazem barulho demais
e um abraço cairia bem.

se é verdade que o destino não existe
não estamos predestinados a sermos nós mesmos,
mas se eu puder ser só seu
a gente pode contar estrelas até amanhecer.
e se a vida não for tudo isso que esperamos
farei do meu peito a sua morada,
‘eu tenho sentindo a sua falta todo esse tempo!’
você abriu os braços e quis me ver.

então ela me convenceu que o amor vinha depois da tempestade
e que seria meu guarda-chuva e minha proteção
o vento vem do norte contraindo os lábios finos
um abraço agora cairia bem.

Anúncios


No Responses Yet to “OS TROVÕES”

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: