Archive for maio, 2014

não se demore!

30maio14

não se demore! – eu disse a ela enquanto a noite arrastava seus cabelos pretos em meu rosto e me doía de preguiça a ideia de deixar de amar qualquer detalhe de cada expressão como se ela fosse um quadro, um poema, uma sinfonia e eu um intruso, tentando me fazer notar, suplicando por mais […]


Harmada. Já faz um tempo que esse cd tem tocado continuamente dentro da minha cabeça. Já faz um bom tempo. Desde quando a avenida Dropsie foi praticamente toda demolida. E isso é uma coisa que o Eisner pode contar bem melhor do que eu, ele sabe tudo sobre esses lugares que vão embora da gente […]


engraçado é como você me atropela com seus patins. e eu acordo sem saber se você passou mesmo por aqui. algumas bandas que ninguém conhece e todas as cores do seu cabelo.


olha só como você me olha só eu acho que você quer me matar toda vez que ela chega perto de mim. eu acho que você quer me matar por eu sempre agir assim. eu não sei do teu quarto eu não sei da sua rua não conheço os teus amigos sua família mas eu […]


eles e seus trajes suas cores de combate o fascínio pela guerra. eles e sua coroa sua arma de chumbo o medo que não deixa dormir. ela respira baixinho no meu ouvido e eu não ouso me mexer. não dói. ela consegue ser todas as coisas que eu gosto em um sorriso. a casa desaba […]


(esse post tem mais 2 títulos além daquele bonito que eu escolhi. O primeiro era: “MORRE VACA”, resolvi não colocar por motivos aparentemente óbvios. O segundo era “QUATRO, OU ABRIL NUNCA FICOU TÃO DISTANTE”. Gay demais para parecer bom).   oii. vaca. morre. te amo pra caralho. você era feia e estranha quando eu te […]


rabisco o seu nome de giz no chão engatilho corro fujo traço o caminho que me mostre o teu coração. não existe partida aonde não existe mar chá de pitanga, bolo branco fiz da sua casa o meu lar. veio como num sonho bom lua frio vento o vermelho do seu batom, disfarço a euforia de […]