Só não gosto mais de você

12fev14

Presta atenção.
Existem algumas coisas que a gente consegue aprender quando os outros dizem. Você pode aprender boas maneiras, pode saber como se comportar ou qual garfo usar. Mas algumas coisas você só vai aprender depois de muito bater de frente. É como escrever um poema, não existem receitas, você pode até ter aulas sobre métricas e rimas, mas só vai entender como é fazer um poema depois que cada pedaço da sua cabeça quiser gritar, quando você não tiver com quem conversar e falar sozinho não for o bastante.
Acho que é como não lembrar ou tentar fazer de conta que algumas coisas já passaram. No fim a gente não tem escolha e se for para ser assim, não é melhor enfrentar de uma vez?

Talvez a gente consiga fazer um filme. E talvez ele seja lindo. Talvez nossa banda tenha algum sucesso, talvez nossos livros sejam publicados e nossa voz seja ouvida. Ou, talvez, a gente termine nossas vidas sentados na calçada, com a cabeça cheia de planos, mas sem coragem de se esforçar muito mais. O ócio me incomoda. Uma vez uma garota me disse que eu deveria aprender a arte de passar um dia todo deitado na cama sem sentir remorso por isso. Mas não consigo, eu não tenho sono. Não tenho tido um segundo de paz dentro da minha cabeça.

E vocês falam, me dão um milhão de teorias de viver, tudo sobre aproveitar intensamente e se jogar por aí… Mas, para mim, é puro desespero. Seus discursos, sua urgência, a ideia de estar vivendo de forma louca e feliz… É desespero. Que na verdade, quando deita para dormir, se percebe mil vezes mais perdido do que eu. Então não me faz te odiar. Pode dizer o que quiser, mas não tenta me fazer tão parecido com você. Não funciona pra mim.

Aceito um poema, um filme, um café. Uma vida careta, uns livros guardados na estante. Achar alguém que eu goste e, se eu der sorte, que goste de mim também.

“O mundo vai quebrar seu coração muitas vezes nessa vida e eu não posso explicar isso… e a loucura que há dentro de mim ou de todo mundo. Eu vejo tudo o que todos fizeram por mim e me sinto uma pessoa sortuda”.

                           (o lado bom da vida)

“Em algum lugar dois olhos estavam felizes por eu estar lá. Eu tinha certeza que Richard Parker olharia pra mim, que de alguma forma sinalizaria o fim do nosso relacionamento. Mas ele não o fez. Ele desapareceu para sempre da minha vida. Eu chorei como uma criança, não por estar aliviado por ter sobrevivido, embora estivesse. Eu chorei porque Richard Parker me deixou sem nenhuma cerimônia. Partiu meu coração. Todos estavam certos, Richard Parker nunca me viu como amigo. Depois de tudo que passamos juntos ele nem olhou pra trás, mas eu acredito que havia mais nos olhos dele do que apenas o meu reflexo me olhando de volta. Eu sei disso, eu senti, mesmo que não possa provar. Olha, eu deixei tantas coisas pra trás… Suponho que no fim a vida seja um processo de abrir mão, mas o que sempre me doeu mais foi não ter um momento pra dizer adeus. Eu nunca pude agradecer a minha mãe por tudo que eu aprendi com ela, dizer a ela que sem suas lições eu nunca teria sobrevivido. Eu devia ter tido a Richard Parker, acabou! Nós sobrevivemos! Obrigado por salvar a minha vida, eu te amo. Você sempre vai está comigo e Deus com você”.

“Palavras são tudo que restou pra eu me apegar. Tudo misturado, fragmentado. Não sei mais distinguir pensamentos e sonhos de realidade”. 

                              (as aventuras de pi)

“Escolha uma vida. Escolha um emprego. Escolha uma carreira. Escolha uma família. Escolha uma merda de uma televisão grande, escolha máquinas de lavar, carros, CD players e abridores de lata elétricos. Escolha boa saúde, colesterol baixo, e plano dentário. Escolha prestações fixas para pagar. Escolha uma casa para morar. Escolha seus amigos. Escolha roupas de lazer e uma bagagem que combine. Escolha um terno feito do melhor tecido. Escolha se masturbar e pensar quem diabos você é em uma manhã de domingo. Escolha sentar no sofá assistindo programas que nada te acrescentam, game shows, estufar-se comendo um monte de porcarias. Escolha apodrecer no fim de tudo, numa casa miserável, envergonhando os pirralhos egoístas que você gerou para te substituírem. Escolha seu futuro. Escolha sua vida. “

                                            (trainspotting)

“Como você deve olhar pra garota que ama, e dizer a si mesmo que é hora de seguir em frente?”

“Tenho uma teoria. A minha teoria é sobre momentos. Momentos de impacto. Minha teoria é que esses momentos de impactos, esses flashs de realidade que nos reviram, acabam definindo quem somos. O fato é… Cada um de nós é a soma dos momentos que já tivemos. E de todas as pessoas que já conhecemos. E são esses momentos que se tornam nossa história. Como nossas músicas favoritas de lembranças que tocamos em nossa mente várias vezes. Essa é minha teoria. Que esses momentos de impacto definem quem somos. Mas o que eu nunca considerei… E se um dia você não lembrasse mais de nenhum? Um momento de impacto tem a capacidade de mudar, tem efeitos bem além do que podemos imaginar. Em alguns, algumas partículas batendo nas outras, deixando-as mais unidas que antes, enquanto mandam outras pra grandes desafios, indo para onde nunca achou que elas iriam. Essa é a questão sobre momentos assim. Não pode nem tentar controlar como irão te afetar. Tem que deixar que as partículas se colidam. E esperar até a próxima colisão”.

                                         (para sempre)

“- O que está lendo?
– Cartas antigas.
– Por que fica lendo isso ?
– Não sei. Estou tentando entender por que cometemos
os mesmos erros, repetidamente.”

                                          (a viagem)

“Eu não quero deixar passar tudo de novo. Como pode ser? Como é possível que não fiz nada? Há 25 anos me pergunto e há 25 anos que respondo a mim mesmo: foi outra vida, já passou. Não pergunte, não pense. Não foi outra vida, foi esta! É esta! Agora que eu entendi isso, como se faz para viver uma vida vazia? Como se faz para viver uma vida cheia de “nada”? Como se faz?”

“As pessoas podem mudar tudo: de cara, de casa, de família, namorada, religião, de Deus. Mas tem uma coisa que não se pode mudar, Benjamín. Não se pode trocar de paixão”

                                       (o segredo dos seus olhos)

“Eu te amo. Amo muito. Só não gosto mais de você“.

                                 (um dia)

“Seu emprego não é o que você é, nem o quanto ganha ou quanto dinheiro tem no banco. Nem o carro que dirige, nem o que tem dentro da sua carteira. Você é uma merda ambulante do mundo”.

“Saia do seu apartamento. Encontre uma pessoa do sexo oposto. Pare com a compra e a masturbação excessiva. Peça demissão. Comece uma luta. Prove que você está vivo. Se você não for atrás da sua humanidade, você vira uma estatística”.

“Fomos criados através da televisão para acreditar que um dia seriamos milionários e estrelas de cinema, mas não nos tornamos isso, estamos muito, muito putos, e aos poucos, tomamos consciência”.

“Considere a possibilidade de que Deus não goste de você, nunca lhe quis e provavelmente, te odeia”.

                                 (clube da luta)

Para o Teago.
Que pediu um post com filmes que saíram de livros. E eu achei legal pra cacete de fazer (:

força!

Anúncios


One Response to “Só não gosto mais de você”

  1. Talvez seja como no Clube da Luta, imaginamos tantas coisas, tantas personalidades, gente, que acabamos descobrindo que nada existe, a não ser as coisas que vemos e ouvimos… Mas nem sempre o que vemos e ouvimos é real, aí que a vida vem e fode com tudo

    Valeu Dan


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: