Archive for junho, 2013

eu não contemplo mais o teu sorriso, das dores da solidão já basta a não certeza de um encontro. já basta o teu desmazelo, o teu jeito fácil de esquecer. as palavras repetidas de nossas existência incompleta. o medo da morte é um sufoco, transpira nosso desespero perdemos todas as nossas certezas, inclusive, a certeza […]


dans paris

24jun13

– isso me lembra dans paris e eu tenho pensado muito em dans paris. – eu nunca vi, mas vou baixar e já assisto hoje. e por que mesmo te lembra dans paris? – uma teoria sobre como todo mundo nasce com uma certa quantidade de tristeza. – e o que a gente faz com […]


23jun13

– o silêncio absoluto tomava conta de nossas melhores palavras e ela só me olhava, enquanto tirava o cabelo da frente do rosto e colocava atrás da orelha. analisando friamente, seríamos primeiro absurdamente felizes e, incapazes de qualquer mal, tomaríamos a vida e tudo que nos restasse de uma vez só. depois sobraria o peso […]


‘When there is nothing left to burn, (quando não resta mais nada para queimar) You have to set yourself on fire. (você tem que colocar fogo em si próprio) God, that was strange to see you again, (Deus, foi estranho ver você de novo) introduced by a friend of a friend (apresentada por um amigo […]


I primeiro a compreensão. colhem flores e colocam em nosso cabelo dizem um oi tímido e por consequência da solidão curam a nossa carência com palavras de bons costumes. na primeira noite é um beijo no rosto um afago no cachorro. II na segunda noite já nos conhecem. me coloca um apelido diz que não […]


19jun13

Respondendo a distância. Tentando não te abraçar e nem te dizer o quanto você é bonita. Vai embora, ou deixa que eu vou. Só não diz ‘adeus’, pra amanhã eu poder voltar. Ou fala aquele bonito ‘a gente se vê’ – gosto mais quando é assim, parece que a gente vai se esbarrar pela rua […]


VANGUART

17jun13

Oii (: Hoje é segunda-feira, um solzinho preguiçoso tenta deixar a gente mais quente e aqui estou outra vez. E agora é pra contar do show do Vanguart! Eu juro que vou tentar ser o mais breve que eu conseguir e fazer aquele esquema de só contar tudo que eu for guardar pra sempre comigo. […]