Vivendo do Ócio

05mar13

Oii (:
Eu sou o Dan e hoje vim contar pra vocês sobre o meu domingo bonito, que teve o show do Vivendo do Ócio em jaú. 

Começou mais ou menos na semana passada, quando o Silas me contou sobre o show e daí já nos programamos pra ir e não ter erro. Mas, como a vida é ingrata e usurpadora, obviamente que no decorrer da semana todos os planos mudaram um monte de vez e quando eu dei por mim, domingo já estava chegando, meu nome estava na van pra ir, nenhum amigo meu ia e eu tava com um animo em estado duvidoso para ver o show. 
Mas, a vida é assim mesmo. Convenci o Bruno a ir comigo e montamos na van as 14h saindo da praça da matriz. A gente ia com a Dona Nirva, os caras iam tocar por lá e montaram um micro pra levar os instrumentos, teoricamente a ideia seria boa – se tivesse gente pra ir – mas não tinha, ficou horrivelmente mais caro do que se fosse em 3 carros. Mas a vida é assim mesmo. 
Então fomos eu e o Bruno sentadinhos na van vendo as pessoas fazerem coisas legais como tirar fotos do pinto. 

Então chegamos em jaú. Tava um mega calor e eu descubro que o Silas estava lá, tinha ido de carro, ele e a Gi. Na hora pensei em mandar ele balangar pra mim, mas nesse momento eu vi uma oportunidade de carona pra voltar, já que o Bruno ia ficar nos hospital com o tio dele. Aí compramos o ingresso do show, e resolvemos dar um rolê no shopping. 
Agora eu preciso falar uma coisa muito importante, prestem atenção: nunca se disponham a comprar algo para o Bruno. De verdade! huauhas 
Fomos no mercado, ali do lado do shopping e resolvemos que seria bonito tomarmos alguma coisa, então eu peguei uma pepsi, o Silas e a Gi uma coca-cola e o bruno pegou uma água tônica – porque nunca tinha tomado antes. 
E eu falei: é ruim. Mas ele não me ouviu. E comprou. E odiou obviamente. Saindo do mercado ele me perguntou: porra mano, por que alguém faz uma coisa dessas? 
E eu respondi: pra algum idiota comprar e ficar se perguntando por quê alguém fez um negócio ruim desses.
Ele: aah, pro amigo idiota pagar, entendi.  – fdp

 

‘mais um dia de sol e eu espero pra sair
A chuva não vai mais chegar
Eu penso em te ligar
Melhor ficar aqui a ler o meu jornal
Eu não entendo nada que se passa nesse jogo

Oh não! agora eu entendi
Você vai hesitar, mas tem que concordar
Porque eu sei, você também tem seus motivos
Esqueça tudo isso e então vamos dançar’

 

Enfim, resolvemos entrar no show. O Santo (o local do show) era tipo uma casa mesmo, toda pequena. E não tinha mesmo muita gente, então a gente dá uma desanimadinha na hora, pensando: que droga, os cara são da Bahia, e vem aqui tocar pra encontrar o lugar assim.
Passou umas meia hora e a primeira banda começou. Era bem legal, viu? Eu não faço a menor ideia do nome da banda, mas juro que era legal. Eu queria saber o nome pra contar pra vocês.
A segunda banda foi a Dona Nirva, e eu preciso dizer que o show deles tá ficando mais legal. De verdade, acho que já vi eles tocando umas 5 vezes. Por aí. E tá ficando realmente legal de assistir. As músicas são boas e tudo mais, eu realmente gosto de algumas delas. 

A Dona Nirva terminou o show. E já era o VDO. O palco já tava sem mais nada, então abriu a porta dos fundos e eles entraram, o povo da banda. Todos quietos, na deles, carregando os instrumentos, foram sentar enquanto esperavam tudo ficar pronto.
Aí levou mais uma meia hora, até tudo estar ok.

Então eles subiram no palco, e sem dizer nada começaram destruindo na SILAS, e eu preciso dizer o quanto essa música é mil vezes mais legal ao vivo, já é genial de ouvir no cd. Mas ao vivo você não consegue parar um segundo. E sem ainda falar nada já puxaram O MUNDO É UM PARQUE. E nossa, de verdade, eu não sei se eu nunca reparei isso nos cds, mas nossa, as guitarras são muito boas! Meu deus. Você para até de respirar, porque não pode correr o risco de perder nada. Aí foi MEU PRECIOSO e eu pensei: cacete, cadê o muka? E na verdade, pensei nisso quase o show todo, porque, porra, ele ia curtir pra caralho! E eu acho que ninguém ali sabia muito bem que banda era aquela. Ninguém cantava nem nada. É chato de ver isso.

Ah, e eu não falei, mas o palco era quase inexistente. Era só um degrau mais alto. Ou seja, a banda ficava ali, na sua frente. Sem nada entre vocês. Assim que é legal (: Continuando… Eles deram uma pausa, pra trocar a afinação e foi outra coisa legal, que todos eles tinham um microfone, então não tinha aquilo de só o vocalista falar, todos eles falavam, cumprimentavam. Falavam sobre as músicas. Então o baixista falou: essa é do cd novo, chama POR UM PUNHADO DE REAIS! 
Depois já começaram DILEMA, e de verdade, eu preciso dizer que se eu fosse o pai deles, eu iria morrer de orgulho. Eles parecem ter a minha idade, e já tocam pra cacete, sabe? Faz qualquer banda de rock ter orgulho. É um show todo certo, com as guitarras destruindo sem parar. E é muito legal de ver a relação deles com o povo de apoio, porque fica um senhor mais velho no canto do palco e ele fica fazendo sinal de joia para os meninos depois de cada música. E você percebe que eles sempre olham pra ele, procurando esse sinal. É bem legal. (:

Então tocaram TUDO QUE EU QUERO. E eu gosto muito dessa letra, tudo que eu quero é uma bicicleta, pra ir pra onde eu quiser. Eu quero a vida toda pra eu jogar pela janela, se essa vontade vier. E também aquela parte assim que fala que falta você entender, que eu não quero ficar em casa se chover. Então foi HEY HEY e baixem essa música se vocês tiverem chance. Ela é super legal de verdade.

 

‘Eu sou como um velho barco que guarda no seu bojo
O eterno ruído do mar batendo
No entanto como esta longe o mar
E como é dura a terra sob mim
Felizes são os pássaros que chegam mais cedo que eu a suprema fraqueza
E voando caem felizes e abençoados… nos parques onde a primavera é eterna’

 

Depois o baterista disse que queria fazer um brinde. Para o rock. E fez todo um discurso legal sobre isso. E disse que não tinha momento melhor pra isso porque eu sei o que você quer! 1 2 3 4 ROCK’N ROLL BABY!ROCK PUB BABY é genial. Gosto muito dessa música. Então, se tiver um momento emocionante no show, falo que é esse. NOSTALGIA. É realmente emocionante ver eles tocando essa música. Você meio que tem vontade de ser da Bahia só pra poder cantar e sentir de verdade o que eles querem dizer. Quando acabou o Bruno falou: música foda hein. E eu: pois é.
Então eles falaram que a próxima música era baseada no Scott Pilgrim e eu vi aí mais um motivo pra eu gostar da EU GASTEI. Aí eu já tava loco e desesperado, porque parecia mesmo que o show era pra mim, porque eu olhava ao redor e o povo nem se mexia, e eu gritava pra eles tocarem ‘oh não!’, gritei um monte de vez, mas não deu resultado. Mas, tudo bem tudo certo, porque tocaram AMOR EM FÚRIA.  E essa foi a primeira deles que eu gostei. Então é muito legal mesmo ver ela ao vivo. Aí tocaram TERRA VIRAR MENTE e eu pensei de novo: porra muka!

E o show foi acabando. Eles falaram que tava na última parte do show. E agradeceram bastante por todo mundo que estava lá, que era ótimo estar pela segunda vez em jaú. E tocaram BOMBA RELÓGIO e logo depois FORA, MÔNICA. Super divertida essa música ao vivo, viu. Recomendo. Então terminaram, dizendo que a última música era uma homenagem à casa deles e tocaram RADIOATIVIDADE. Gosto muito de letras assim, como essa.
Aí terminou, e eles ficaram ali no palco, tirando as coisas e eu fui falar com eles, chamei o Jajá ele agradeceu bastante, foi super legal e me deu a palheta, eu pedi pra pegar o set list também e ele falou: fica a vontade. E agradeceu mais algumas vezes, ai o baixista veio falar comigo, pediu desculpa por não ter tocado ‘oh não’, mas disse que tocaria no próximo show em jaú. 
E eu saí dali, mega sorrindo.

O Bruno precisava ir pro hospital. E eu não ia mais ficar ali. Fui pro shopping, pedi pro Silas me avisar a hora que fossem embora. E lá encontrei a Jeniffer, a Dé e o Gustavo. E tive uma das noites mais legais dos meus últimos dias. Vendo a noite chegando, falando bobagem, dando risada. E do nada já era 23h e o povo queria ir embora. 
E eu podia falar muito muito mais sobre tudo isso, mas não quero. Acho que falo demais boa parte das vezes e hoje eu só quero deixar assim. Pra não dar azar, sabe? 
Só sei que o Silas foi embora e eu fiquei por lá e quando o povo da banda me chamou eu queria ficar ainda mais um pouco. Mas eu fui. E eu vi a lua. E eu não parei mais de ver a lua em nenhum instante. E começaram a cantar dance of days na van e Brotas chegou rápido demais, tanto que eu decidi que devia andar a pé até em casa. Com meus fones de ouvido e a lua. Me dizendo tanta coisa. 

E foi assim.

Anúncios


One Response to “Vivendo do Ócio”

  1. Tive uma experiência parecida, em Goiânia-GO agosto do ano passado, local do show igual você descreveu, mas tinha muito mais gente do que você disse que tinha em jaú. Fantástico o show, só senti falta de “É melhor pensar duas vezes”, mas o resto do set foi fantástico, e ver o Jajá bebasso foi impagável. Ainda bati um papo um tempo lá com o Lucas e o Dieguito, super gente boa o pessoal da banda, de quebra ainda levei o CD autografado pra casa.
    Um dia ainda quero sentar pra tomar umas cervas com os caras, pena que sempre que passam assim de turnê é um pulo, chegam pro show e vazam depois =/

    Mas vale a pena, ótimo show e super energético, não diminui o ritmo um instante.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: