das minhas manias

21set12

eu preciso mesmo ir, 
juro que queria ficar
juro.
mas devo ir. sinto muito.
é minha mania, sempre partir
antes que doa,
e eu sei que assim só dói mais e mais.
mas eu preciso mesmo ir.
enquanto ainda dá tempo de sair discretamente,
sem fazer alarde,
pela porta dos fundos,
andando pelo quintal, 
pisando a grama molhada, vendo a cidade amanhecer,
o sol na janela
acordando o dia
te dando um beijo de bom dia – beijo que eu queria dar.
mas eu preciso mesmo ir,
não é por mal,
é só que me perdi
e vou me arrepender 
como sempre me arrependo quando faço algo sem pensar,
porque você é minha casa
meu porto, sou barco sem velas,
viajando pra onde Deus quiser me deixar,
minha vida toda é um Deus dará,
fazendo força com meus remos quebrados
tropeçando em ondas, engolindo areia,
chorando lágrimas de mar e colecionando suas conchas,
te achando em estrelas-do-mar

eu sou marinheiro e agora preciso mesmo ir.
mas por ti
lhe prometo, que eu posso voltar.

Anúncios


No Responses Yet to “das minhas manias”

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: