Archive for junho, 2012

Boleros

28jun12

‘Saudade É a parte de mim que corre Metade Teu pedaço em mim que foge Vontade De tão forte a carne treme Saudade É a mão que assume o leme De longe Vejo o traço do teu sorriso Que esconde Meu singelo paraíso Te espero Uma dança que não termina Boleros O silêncio é companhia’. […]


porque eu sou idiota pra cacete. esse não importante. mas achei legal ficar em primeiro, pra já deixar meio subentendido pra tudo que vier depois. porque tava frio. e esse soa mais como uma desculpa que nem chega a me convencer. mas, faz de conta que é isso mesmo e que isso faz alguma diferença […]


Ela errou o meu nome. Na verdade tava tudo bem, já que eu nem sabia o nome dela. Tinha 18 anos, era um pouco menor que eu e um pouco mais esperta. Falou que era de Campinas. Falou que queria fazer design. Que agora trabalha como vendedora. Eu falei que fazia artes, mas que larguei. […]


“tomar coca-cola com você é ainda mais divertido que ir a São Francisco, La Jolla, Tijuana, Tecate, Ensenada ou ter o estômago revirado de enjôo na Madison Avenue em Nova Iorque em parte porque nesta camisa laranja você me parece um São Francisco melhor mais feliz em parte por causa do meu amor por você…”   […]


“por entre os carros teus passos apressados. não pisam as flores que eu deixei no chão. escuto os fogos evito olhar ao lado. você tem pressa cortes de papel nas mãos. quem te fez dormir mais tarde? quem te fez perder a direção? um dia inteiro um ano bom demais quem vai dizer que tanto […]


O palco está limpo. Apenas uma cadeira no canto, sem maiores cenários. São 4 personagens: a psicóloga, o poeta, o eletricista e a vela. A vela já está em cena desde antes do público entrar. No meio palco, centralizada e apagada. A psicóloga entra, acende um fosforo, acende a vela (a vela é um ator […]