Archive for setembro, 2011

Sobre o sim

28set11

Ela já tinha me dito ‘sim’ duas vezes. O PRIMEIRO SIM:  já passava da meia-noite. E todas as cinderelas já tinham ido embora. Então só restava quem não tinha sapatinho de cristal. Nossa abóbora mágica era um carro mesmo e nossa fada madrinha estava no rótulo do absinto. O ADIOS AMIGOS do Ramones tocava no […]


23set11

Você é do tipo que faz chover quando quer. Que me molha. Que me beija. Quando quer. Lava toda a bagunça que mora em minha cabeça e vem pra passar a noite no meu coração. Mas levanta cedo, nem dá tempo de eu acordar. A casa já esta desarrumada e meu pensamento já é seu. […]


Jéssica. Vou tentar explicar sobre ela. Não, não estou apaixonado. É sério, não é nada demais. Minha vó dizia que só existem duas mulheres em nossa vida. A primeira é aquela que dá a gente pra vida. A segunda  é aquela que coloca a vida na gente. Eu sempre achei que nunca entenderia essa merda. […]


A luz pintava as sombras da parede da sala de estar. Era noite e ela só queria ficar sozinha. Já estava cansada de tentar gritar e ninguém nunca ouvir, então ela só queria ficar em silêncio. Mas é uma droga. Ninguém respeita teu silêncio. Quando você grita todos estão surdos, quando você cala eles derrubam […]


Eu lembro como se fosse ontem. Porque praticamente foi mesmo. Acordei cedo e atualizei o trama virtual um bilhão de vezes. Até aparecer as primeiras músicas. ‘Seu delegado venha ver que confusão, estão mandando brasa, no meio do salão..’ E começava a destruição. Se existe uma palavra pra definir o Brasa, essa palavra é INSANO […]


(21:02) Nesse sábado, conversando com uma amiga das antigas – ela é da época do teatro, das tardes lendo harry potter – nos encontramos falando sobre redações de vestibular. Super assunto pra se tratar no centro de sábado a noite. Mas a vida é, como ela é. Eis que ela diz que a melhor redação […]


09set11

Ela fez uma comparação. Disse que o amor era um livro que comigo ela já tinha cansado de ler. Eu falei então, que ela sempre seria meu livro favorito.  Mas que tem uma livraria enorme, na porta de casa. Ela chorou. E eu morrendo de rir. Porque a gente ri pra não precisar chorar. E […]