Archive for julho, 2011

Comerciais

31jul11

Todo dia ele assistia TV. Tantos filmes, tantas novelas. Prendia a respiração nas histórias que tanto lhe diziam a respeito. Como se na televisão estivesse toda a sua vida. Acreditava nas noticias do jornal. Decorava as vinhetas dos programas de auditório. Ele só não gostava dos comerciais. No comercial é quando a gente tem que […]


Oração

26jul11

Deixa o amor. Sabe, vai doer. Vai ser estranho, vai ter medo. Mas deixa! Deixa acontecer. Eu juro de pé junto e sem dedos cruzados, eu juro te olhando no olho, que vai valer a pena. Então deixa. Deixa que o Woody Allen te protege. Deixa que as estrelas te abençoam. Deixa que a noite […]


Eu sonhei com você e acordei feliz. Eu caminhei com você e podia ter sido pelo mundo todo. Eu liguei pra você pra ouvir sua voz. Eu escrevi pra você o que eu tinha – e ainda tenho – problemas pra dizer. (6:32) Eu cantei pra você mesmo sem saber o que cantar. Eu ouvi você cantar […]


Era uma tarde quente, daquelas que a gente não tem absolutamente nada pra fazer. Então eu me divertia andando pela praça. Crianças com suas mães. Cachorros. Vagabundos – como eu. A primeira vez que eu o vi foi uns 3 dias atrás. No mesmo lugar. No mesmo banco. Ele só faz ficar sentado. É um […]


Queria. Queria seu sorriso, queria que você estivesse aqui. Queria que não fosse tarde, queria você não pensasse em me esquecer. Queria que não fosse, devia ter dito isso. Devia ter dito sobre o ciúme que e sinto, sem querer sentir. Queria ter dito tanta tanta coisa! Talvez não fosse triste agora. Talvez não fosse […]


AVISO: esse post é continuação desse outro sobre Woody Allen. E vai ser tão nerd e irritante quanto o outro. É um post de quarta? Sim. Mas é outro que eu venho fazendo faz tempo e é pra mim. (: “Na maioria das vezes, sinto-me decepcionado com meus filmes”. Hoje é dia 14 de julho. E a […]


Ela já estava decidida. Quando ele chegasse hoje, ela terminaria tudo. Como ele podia ousar ser assim? Sempre brincando com os sentimentos dela, como se não houvesse dor alguma. Por isso ela estava decidida. E não diga que foi mal pensado. Na mesma hora em que pensou sobre isso, ela correu até a banca e comprou […]