Ela estava cansada de precisar ser tudo

29jun11

Eu estava aprendendo a ser absolutamente feliz com meus fracassos em relacionamentos. Tanto que no começo ela era só mais uma garota.

Era uma noite no parque. Nós 4, elas 4. Obviamente começou o ritual neurótico de acasalamento. E eu fiquei ali de canto e ela ficou lá no canto. Todos foram pro carros, pra algum lugar legal. Fazia parte da noite. Ela ficou e eu também.
Perguntei se ela queria ir pra algum lugar, ela falou que não iria me beijar. Eu respondi que adorava milk-shake.

Já passavam das 3 e eu estava com um triplo de morango e ela na segunda cerveja. Ela tinha me achado idiota e infantil e eu devia tá apaixonado por ela.

Mas a noite acabou assim. Eu a fazia rir e ela falava de coisas que eu nunca entendi. ‘Alice’ – ela disse. E rabiscou o celular no cartão do hotel. Eu entendi, ela estava cansada de precisar ser tudo pra alguém.

Ela era de outra cidade e eu também. Mas eu não sabia que ia ter que ficar muitas noites sem dormir, de tanto pensar nela.

Era julho de 83.

Voltei pra casa e os meses caíam como chuvas de verão. Eu tentei ligar pra Alice tantas vezes, mas eu nunca passei do discar. Quando dei por mim já era dezembro. Desde sempre minha familia fazia uma grande festa no natal e dessa vez convidaram os novos vizinhos. Eram o avô, a avó e uma menina linda de olho verde.

Todos cantavam e riam e ela ficava no cantinho da sala, com um pratinho de docinhos ao lado. Um pouco antes da meia-noite eu sentei perto dela. Eu falei oi e ela nem olhou pra mim. Então eu disse que sabia fazer mágica e coloquei na boca os doces dela e falei: sumiu!

Ela olhou pra mim e começou a rir, então eu percebi que estava babando. Daí do nada, bem do nada mesmo, ela me falou: meus pais morreram. E eu não tenho ninguém.

‘Posso ser seu amigo’ – eu respondi. “Meu nome é Alice” – ela falou. Eu devo ter feito alguma cara estranha, porque logo depois ela perguntou: quem você conhece que chama Alice? É sua namorada?

– Não. É só uma amiga…

– Você gosta dela?

– Não…

– Liga pra ela. Se você não ligar, eu não vou ser sua amiga.

E naqueles olhinhos verdes, eu vi que essa era toda a verdade. Então eu peguei o celular, era dia 24 de dezembro de 83. O celular deu 3 toques.

– Alô, olha, eu juro que é importante…

Anúncios


2 Responses to “Ela estava cansada de precisar ser tudo”

  1. 1 laira bueno

    Adorei. Maravilhoso, como sempre. hehe

  2. 2 soalgumasletras

    adoro ligações …


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: