Trilha sonora de um filme que nunca vai ser feito

28abr11

Oi, eu sou o Dan.
E esse é um post de quarta! =D
ashaushas
Faz tempo, né?

Eu vinha com uma idéia, mas eu encontrei outra coisa e entre adaptações, tenho uma coisa que deve ser teoricamente legal! (:
Participem comigo.

– Imaginem que a vida de vocês é um filme. Fácil, né? Eu vou separar por partes, como se fossem cenas mesmo e, cada uma dessas cenas (como todo filme que se preze) precisa de um trilha sonora. Então, façam um top-ultra-blaster-max entre suas músicas favoritas. Umas 30, ou 40.  Deixe pra tocar em ordem aleatória e aperte Play! – no meu caso, eu tenho 71 músicas aqui no media player e essas mesmo que eu vou usar.

Ah, não vale mudar ok? Deixe a música que for. (:

Créditos iniciais: I’M LIKE A LAWYER WITH THE WAY I’M ALWAYS TRYING TO GET YOU OFF (ME & YOU) (fall out boy) : é um bom começo, enquanto os nomes dos atores e da equipe técnica vão aparecendo, com imagens loucas e confusas. Tem bastante a ver com a idéia geral – eu acho.  – ” Somos a nova face do fracasso, mais bonitos e mais jovens, mas não melhores “.

Acordando: OCEAN AVENUE (yellowcard): o filme podia começar assim, acordando num dia. Anos mais velho. Andando pela casa, cheio de quadros e fotos. Um sol entrando devagar pela janela. Então senta lá fora na rua e muda a cena. – ” Há uma pedaço de você que está aqui comigo, em todo lugar onde eu vou, em tudo que eu vejo “.

Primeiro dia de aula: VIOLENCE (blink 182): muito inspiradora pra ir na escola! E combina, um menininho estranho andando pela escola grande demais, sem amigos. Na parte mais pesada da música, o refrão, ele arruma treta. Mas com isso faz amizades. – ” Não posso contar todos os olhos que fitam “.

Brincando na rua com os amigos: GREEN EYES (coldplay) : me faz lembrar dos anos 70. Podia ser assim mesmo. Uma coisa meio desfocada, a música tocando bonita e as crianças correndo, brincando, jogando bola. Coisas simples. Cena simples. Dá pra fazer um esquema meio Woody Allen.
Entre as crianças tem uma menina, que ele já dá umas olhadinhas e ela olha e sorri pra ele também. – ” Eu cheguei aqui com um fardo e ele parece tão mais leve ” .

Se apaixonando: VERDADES (glória): Ok. Seria uma cena mais forte. Talvez eles possam brigar e depois ele descobre que gosta dela. Ou ela pode ser uma menina de gênio forte, ou eles podem ser dois idiotas. Sei lá, posso imaginar muitas coisas. – ” Mais uma vez eu vou ficar aqui, pra ver a chuva cair, lembrar que seu cheiro ainda fica em mim.. ”

Primeiro Beijo: BOYS AND GIRLS (good charlotte): um baile de escola. Oitava série. Ele de terno, ela linda de vestido longo. Toca essa música, baladinha e quando ele nota só quer ficar perto dela. (por favor, me convidem pro baile que tocar good charlotte). – ” Garotas não gostam de garotos, garotas gostam de carros e dinheiro “.

Primeira briga: BEHIND BLUE EYES (limp bizkit): perfeita. Aquela briga feia, por motivos bobos. E ela correndo pra casa chorando e ele parado sem saber o que dizer, depois a tristeza, quando cada um já disse coisas horriveis sem nem pensar. Esse seria um dos grandes momentos de emoção. – ” Mas meus sonhos não vazios, como minha consciência parece ser”

Terminando: ENTRE TEUS DEDOS (reação em cadeia): Continuando o momento de tristeza. Podia ter umas cenas das coisas legais que eles tiveram juntos, como um mini flashback passando. Ele tocando essa musica no violão pra ela e coisas assim. Mais bem simples também. E terminar com os dois tentando seguir a vida. – ” Me tornei você tão cedo, quando senti meu coração batendo junto ao seu “.

Tocando a vida: DEIXAR PARTIR (emoponto): Trabalhando, estudando, saindo. Fazendo a vida seguir. Mas, no ritmo cansado e lento da música. Fazendo a vida funcionar aos poucos. – ” Tarde demais pra rimar palavras que vão mudar seu modo de me imaginar”.

Dirigindo: THE REASON (hoobastank): um óculos escuro, uma tarde bonita, com o sol no rosto. E aquela pose de quem tem o mundo na mão. Liga o rádio e toca essa música. Faz cara de mal pra passar perto de umas garotas e ela tá lá no meio. E ele finge nem notar. – ” Eu encontrei uma razão pra mim, pra mudar quem eu costumava ser e a razão é você “.

Formatura: ANTES DA ENCHENTE (noção de nada): chamam o nome dele. Sobe ao palco, como orador da turma e no clímax da música os olhos dele se encontram com o dela. Ela está radiante e seus olhos brilham de orgulho. Ele só percebe o quanto ainda gosta dela. – “Não há ninguém como você e só você me faz sorrir”.

Depressão: THIS BITTER PILL (dashboard confessional): a letra tem tudo a ver! (: Sentado no chão do quarto escuro, coloca uma música no rádio. A chuva cai forte lá fora, os remédios e as garrafas estão no chão. Quando a música gritar, ele grita junto.  – ” este sentimento de desespero nunca some”.

Flashback: QUEM PRECISA DA FRANÇA? (cinedisco): esse é um super flashback. Enquanto tenta melhorar da depressão, pensa em tudo que já fez na vida e decidi ser melhor. Lembra dela. Que demorou pra dizer o quanto gostava dela. Resolveu que se tivesse outra chance, diria tudo sem hesitar. – ” Diga sim sempre que eu te chamar pra sair, mesmo que ás vezes pareça infantil “.

Reencontro: WONDERWALL (oasis): em qualquer lugar. Pode ser numa rua, na padaria. A vida está dificil e isso tem que dar certo. Momento brega e bonito do filme. Com cenas legais ao som do Oasis, não é nada muito original, mas aposto que todos gostaram disso. – ” não acredito que ninguém sinta o mesmo que eu sinto por você agora”.

Se apaixonando de novo: ROCKSTARS AND CIGARETTES (beeshop): Mudei. Essa é a cena mais bunita. A baladinha indie servindo como plano de fundo pra um relacionamento indie que começa a dar certo. É lindo! – ” Eu vi rockstars e presidentes e aí eu percebi que eu não queria viver sem teu toque” .

Casamento: DANCE DANCE (fall out boy): porra, a garota que quiser casar ao som de fall out boy, por favor, me avise agora! – ” E eu não quero esquecer como sua voz soa” .

Chamado do exército: RADIO (alkaline trio): no meu filme eu vou pra guerra. Bem no estilo Weak Me Up… do Green Day. Dá pra fazer uma bela cena de despedida. – ” eu gostaria que você levasse o meu rádio para tomar banho com você” .

Batalha final: ONLY ONE (yellowcard): as balas em camera lenta. As pessoas e as bombas caíndo. Mostra seu olhar cheio de lágrimas e raiva, entre tudo isso, cenas dela em casa abraçando cartas e memórias. – ” Aqui vou eu, grito com meus pulmões e tento alcançar você”.

Volta pra casa: WHEREVER WILL YOU GO (the calling): sobe no avião e entende que tudo acabou, lembra dos amigos que ficaram e vê que agora a vida continua. Pensa nela e vê um futuro. Sorri. – ” Se eu pudesse, eu iria. Eu iria aonde quer que você fosse”.

Reencontro: THRILLER (fall out boy): ele joga bolsa no chão e ela se joga em seus braços. Um céu azul, um lugar bonito. – “Mas nossos corações batem para serem duros de matar”.

Lembranças de tudo: NEW PERSPECTIVE (panic! at the disco): ele olha pela janela e lembra de quando era menino. Das guerras, das coisas que passou. Vê que tem o amor de sua vida por perto e vê que é feliz. Sob as melhores perspectivas. – “Quero viver uma vida de uma nova perspesctiva, você vem junto, porque eu amo seu rosto”.

O tempo passando: IF IT MEANS A LOT TO YOU (a day to remember): o tempo passa pros dois. E tudo bem. Só isso, a vida passando. Sem pressa, porque já correram demais a vida toda. – ” E então eu juro para você que nós podemos fazer isso durar” .

Morte: GOLDEN (fall out boy): lindo. Música perfeita. Pra fechar os olhos devagar porque já está cansado e se permite morrer, em paz. Pensa em tudo, pensa nela, vê que talvez não tenha sido o melhor a vida toda, mas talvez possa se orgulhar de umas coisas. – ” E eu vi Deus chorando no reflexo dos meus inimigos.”

Créditos Finais: NOT ALONE (mc fly): nem preciso comentar. – “Tudo que eu quero é apenas ir pra casa”.

Gostaram? (:
eu me diverti fazendo. Façam aí, escrevam só os tópicos e tentem inventar suas vidas a partir das músicas. É muito foda!
Ah, se quiserem alguma das músicas, é só pedir. Mas são todas muito fáceis de achar. ^^


“As pessoas se sentem sozinhas, especialmente quando não podem ver, alguém com quem se preocupam.”

(Longe Dela)

“- Acho que o maior mal da humanidade foi causado pelos poetas.
– Os poetas são meio bobos, na maioria. Mas não são perversos.
– Mas enchem a cabeça das pessoas com ilusões sobre amor e escrevem sobre ele como se fosse uma orquestra regida por anjos.
– O que não é verdade.
– É claro que não. As pessoas se apaixonam porque reagem às cores dos cabelos ou o timbre da voz, ou a gestos que as fazem lembrar de alguém.
– Ou às vezes por nenhuma razão.
– Falar sobre o amor é uma coisa e conhecê-lo é outra. As pessoas pensam que os beijos são líricos e os abraços, dramas de Shakespeare.
– E quando percebem que não são assim, ficam doentes e procuram os analistas.
– Isso mesmo.
– Doutora, está sofrendo de algum mal.
– Como?”

(Spellbound)

“Como se recupera a sua vida antiga? Como é que se continua? Quando em seu coração, você começa a entender que não há volta…
Há certas coisas que o tempo não pode concertar, alguns machucados que vão tão fundo que serão eternos.”

(O Senhor dos Anéis-O Retorno do Rei)

“Eu reparei que você reparou que eu estou te reparando.”

                                          (Rango)

“- Você não voltará para Nova York? (Alvie)
– O que há em Nova York? É uma cidade morta. Você leu Morte em Veneza. (Annie)
– Você só leu Morte em Veneza quando eu comprei para você.
– Verdade. Você só me dava livros com a palavra “morte” no título.
– É um assunto importante.
– Você é incapaz de curtir a vida. Sabia?”

(Annie Hall)

“- Você me inspira.
– Sempre quis ser a inspiração de alguém!”

(Você Vai Conhecer o Homem dos Seus Sonhos)


“- Pra quem escreveu esta música?
– Pra ninguém.
– Mentira. Onde ela está?
– Se foi.
– Morreu?
– Não, não morreu. Foi embora.
– Você ainda a ama?
– Minha nossa!
– Você já se esqueceu dela. Mentira. Ninguém escreveria esta música se isso fosse verdade. Te garanto. Se tocar esta música maravilhosa ela vai voltar.
– Não quero ela de volta.
– Entendo”.

(ONCE)

– Pra onde você vai?
– Se der sorte, em frente.

(Ratatouille)

“Só que quanto mais eu fugia, mais eu corria atrás dela. Por alguma razão maluca, ou absoluta falta de razão, eu me senti perdido. Pois é assim que se define e ação de quem não sabe onde vai e nem o que faz. Meu coração, sereno como uma bomba relógio, tomado por profundas sensações, algumas sem nome, como aquele calafrio crispado da montanha russa, um segundo antes de despencar no abismo, tentei prestar atenção em alguma outra coisa, não havia nada além de desordem no meu cérebro”.
“Escrever tem desses mistérios. Muitas vezes, de repente, um dia sem esperar, a gente acaba despertando alguma coisa que está viva nas pessoas”.

(Onde andará Dulce Veiga?)

Menininha: Andrew, lembra do meu namorado o Frank?
Andrew: Sim, aquele que sua irmã disse que tem um belo traseiro.
Menininha: Ah, sim. Ontem a noite, ele me pediu em casamento.
Andrew: Isto acha que é uma boa coisa.
Menininha: Bom eu ainda não disse sim.
Andrew: Existe dúvida?
Menininha: Não, o Frank é maravilhoso. Ele é bonito e confiável, é alguém que podia passar a minha vida toda, eu podia ter filhos com ele.
Andrew: Então qual é o problema?
Menininha: E que eu tenho esse amigo, que é muito especial pra mim. E ele é tão gentil e engraçado. E quando estou com ele, eu não quero ficar com Frank.
Andrew: Isto pode ver que arranjou um problema.
Menininha: É.
Andrew: Mas a resposta está bem na sua frente: case com o seu amigo.
Menininha: Bom, ele não é. Eu sei lá, um relacionamento, entre nos é impossivel nunca daria certo.
Andrew: Porque?
Menininha: Porque ele não é, porque ele nunca seria ..
Andrew: Sim (..) Há algo errado?
Menininha: Não, não há nada errado, nada mesmo. Obrigada por me escutar.
Andrew: Isto fica feliz em ser util. Menininha, o que vai fazer sobre o Frank?
Menininha: Aceitar a proposta dele.
Andrew: Verdade? Humanos.

(o homem bicentenário)

“- Gostaria de ter te conhecido antes. (Fred)
– Páre de choramingar. Nós nos conhecemos e fim. (Elysa)”.

(Elysa e Fred)

“Nunca gostei muito de despertar. Nunca fui de pular da cama e saudar o dia sorrindo, como Jim. Às vezes, pela manhã, eu queria socá-lo por ficar tão feliz. Sempre dizia a ele que só os tolos saudam o dia com um sorriso, que só os tolos podem escapar da verdade simples. Que agora não é tão simples.
(…)
De manhã, levo tempo para me tornar George. Para me ajustar ao que esperam de George e como me comportar. Quando termino de me vestir e coloco a última camada de brilho no George de agora, levemente austero e quase perfeito, sei exatamente o que devo interpretar. Olho no espelho que me devolve o olhar, não de um rosto, mas da expressão de um dilema. Vamos lá enfrentar o maldito dia. Um pouco melodramático, eu acho. Cada dia passa como uma névoa. Mas hoje, decidi que ia ser diferente”.

                 (direito de amar)

é isso.
Digam.

força sempre!

Anúncios


No Responses Yet to “Trilha sonora de um filme que nunca vai ser feito”

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: