Um conto idiota de natal.

24dez10

Natal.
Por algum motivo, dia de dar presentes.
É uma merda isso.
E eu nunca entendi.
Minha mãe dizia que dava presente porque menino Jesus nasceu.
Ok, e dai?
Ele nasceu 2 mil anos atrás.
Ninguem vai comemorar meu aniversário 2 mil anos depois que eu morrer.
As pessoas não lembram nem enquanto eu tô vivo.
De qualquer forma, natal é sinônimo de ‘seja feliz’.
É uma merda, eu sei.
Como se eu tivesse data marcada pra poder ser feliz.
E se eu to triste, as pessoas brigam.
Eu mando elas balançarem meu pinto.
E elas dizem que Jesus não faria isso.
Ninguém sabe! Isso é injusto.
Mas, é natal.
E não há nada que eu possa fazer.
Só ficar feliz mesmo.
Pois meu maior presente é seu sorriso.

Hoje é dia 24.
Sai pra comprar o presente do Sal.
Uma linda lata de sardinha.
A moça achou estranho quando eu pedi pra embrulhar.
Mas não fez objeções, só me achou maluco.

A cidade está brilhante.
Você sempre gostou das luzes do natal.
Quando o mundo todo parece estar disposto a ser mais bonito.
Eu quase posso acreditar que as pessoas podem ser melhores.
Talvez eu deva te chamar pra dar uma volta depois.
A gente pode sentar em algum lugar.
E ver as pessoas apressadas.
Tentando chegar à tempo em suas casas.
Eu nunca fui de tradições.
Minha família nunca se esforçou pra manter nada dessas coisas.
Então eu acho engraçado.
Engraçado e só.

Bom, já é quase noite.
Eu e o Sal.
Ele já comeu a sardinha dele e você nem apareceu.
Talvez eu estivesse com um pouco de expectativas demais.
Só pode.
Você deve ter pra onde ir. Familia, amigos.
Por que viria aqui?
É, por que?

Meia noite veio e foi.
O bom velhinho esqueceu de passar por aqui.
E você também.
Pensei que tivesse decorado meu endereço.
Acho que mudei de casa, mesmo sem saber.
Tentei te ligar umas duas vezes.
Tentei ignorar o vazio.
Mas ele não ignora a gente.
Se ele quer nossa atenção, vamos ouvi-lo a noite toda.
E talvez mais.
Conheço pessoas que vivem com o vazio o resto de suas vidas.
Eu sei que sou um vítima fácil pra isso.
Uma companhia agradável.
Mas hoje podia ser diferente.
Podia ter Amélie, Rambo.
Podia ter você.
Eu sei que é idiota eu pensar besteira.
Mas muitas eu não consigo evitar.
E a pior delas é a idéia, de que talvez eu seja só um peso pra você.

O sol da manhã de natal me fez perceber que passei a noite sem dormir.
Eu sempre quis que minhas manhãs de natal fossem como nos contos.
Com a neve, a árvore bonita, aquele monte de presentes.
A expectativa de brinquedos novos, abraços e beijos.
Mas a vida não é assim.
Você acorda e vê que o natal é outro dia.
Comum.
Com o Sal no sofá, a casa vazia e o telefone mudo.

Sai um pouco.
As ruas estavam vazias.
Hoje a cidade não levanta da cama.
Queria eu não ter levantado.
Voltei pra casa, o telefone tocava.
“Alô” – era você.
– Oi. –  eu respondi.
– Feliz natal.
– Obrigado. Eu pensei que você viria aqui.
– Eu tinha coisas mais importantes pra fazer.
– Obrigado.
E desliguei.
É isso. Porra.
Gritei um pouco.
E abri a porta pra sair dessa porra.
Mas ali estava você.
Com o celular na mão.
Sorrindo.
– Seu bobo irritadinho.
E me abraçou dizendo feliz natal.
Por algum motivo eu pensei em chorar.
Pensei em dizer muitas coisas.
Mas só resolvi aproveitar a perfeição do seu abraço.
Me entregou um presente e falou: feliz natal.
Eu disse que não tinha nada pra você e me senti idiota.
Você falou que não precisava.
E me beijou.

Era uma caixinha.
Com uma carta e um cd com umas músicas que você gostava.
Eu entendi que o natal não tem a ver com presentes.
Nem com 2 mil pessoas a sua volta.
Uma pessoa é o bastante.
Uma que te faça rir e amar e amar e amar e amar…

Acho que foi o melhor natal de minha vida.
Ainda sinto seu abraço.
E ainda sinto seu cheiro em mim.

Ah, e na carta, não tinha muita coisa.
Não que precisasse.
Tava escrito em letras grandes e em vermelho:
EU TE AMO SEU BOBO.
FELIZ NATAL.

Anúncios


5 Responses to “Um conto idiota de natal.”

  1. aa eu gostei tanto *-*

  2. 2 anaspera

    😐

  3. Eu Odeio Natal, o motivo maior não é o seguinificado certo mais sim o que as pessoas fazem com o dia do Natal, sempre eu tô sozinho nesse dia, saio escutando musica com os meus fones e continuo sozinho mesmo comprimentando e vendo gentes, esse post foi o melhor que você já fez para mim, não pelo Natal e sim pelo Celular, ela do lado de fora vendo você erritado.
    Eu não sou uma pessoa que gosta de comemorações, odeio e passo o dia todo erritado no dia do meu aniversario, odeio envelhecer!!!
    Mais é isso Dan eu sempre nunca espero muitas coisas de suas escritas, sei lá, me parece comum mais ao mesmo tempo muito foda porque tu escreve perfeitamente bem, só que esse conto me surprendeu, achei que ela nem tinha ligado pelo dia do Natal e tinha mesmo esquecido o seu endereço.. suprendido por ela do lado de fora com o cel na mão!!!
    Foda Dan 🙂

  4. 4 Suuh

    adorei *-*

  5. *-* lindo e otimista, faz o Natal não parecer angustiante


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: