Archive for junho, 2010

Escrevo agora, pra tentar mandar embora essa tempestade dentro de mim. Sinto que ultrapassei a linha do suportável  e entrei na confusão de não ter certeza de qual é o meu lugar. Eu sei que é tão passageiro e tudo isso logo vai sumir. Mas vai voltar, porque sempre volta. E é sempre a mesma […]


Me perco de novo aqui, tentando achar algum título para tudo aquilo que passamos.  Aprendi na escola, que se a gente não consegue entender o título, quer dizer que a gente não entendeu absolutamente nada de tudo o que o autor quis passar. E agente nem título não tem. Por isso que deve ser tudo […]


Oi, hoje é quarta-feira. Não acordei muito bem eu acho, mas é irrelevante. Pois, se pá é o dia em que eu mais gosto de postar coisas aqui! *-* Bom, primeiro, ontem tivemos joguinho do Brasil Vida Loka, contra a Coréia do Norte viva o comunismo, depois do Brasil mostrar um futebol supimpa =P acabou […]


Andava pela rua. Pelas ruas do centro, aquelas mais iluminadas. O frio embaçava os vidros. De todos aqueles carros que passavam tão rápido. As vezes, rápido demais pra se notar. Começo da noite, a vida começa a se dirigir pra casa. Hoje era mais um dia. Pra nascer e morrer. Mais um daqueles dias que […]


14jun10

“…não quero ser quem te traz mais um problema. Não quero ser quem te prende num dilema. Corre teu caminho e vá pra onde der, eu fico de pé sozinho esteja onde estiver… Não quero ser quem te esconde a verdade. Não quero ser quem te rouba a liberdade. Segue teu destino e seja quem […]


Oi, ontem, como todo mundo sabe, foi o chamado ‘Dia dos namorados’. Eu pensei em não escrever nada sobre, tanto que ontem nem postei nada, mas, eu resolvi que deveria dizer alguma coisa, então este é meu post especial do dia dos namorados! (vide o título) *-* Primeiro, resolvi por contar, ao meu modo, a […]


Estilhaços

11jun10

Sempre chega uma hora em que você para e se pergunta se tá tudo certo, em tudo o que aconteceu agora. É como se passasse um filme na minha cabeça e eu pudesse ver tudo aquilo que passei e tudo aquilo que passou por mim. E eu não consigo parar de me perguntar se tudo aquilo valeu […]