Desventuras em bauru, à 220 baby.

14maio10

Hoje é sexta-feira! Chega de bobeira, pega uma cerveja e põe na minha mesa.. -n

Fazendo coro à essa ridicula música sertaneja, que é de alguma dupla que com certeza eu não vou lembrar o nome, porque é tudo igual mesmo e de qualquer forma todas elas cantam as mesmas músicas… Hoje é sexta-feira! *-*
Isso quer dizer que a semana acabou (deer, não brinca?) e que um fim de semana leckalzinho está chegando, para todos nós, felizinhos, aproveitarmos fumando um beck, fazendo um sécso com nossos amiguenhos e animaizinhos e, sair por ai usando nossas roupitchas coloridas cantando restartiii! *—* (vomitei um pônei cor de rosa imaginando a cena).

E, para melhorar, hoje eu acordei de bom-humor. Sim, hoje eu acordei feliz, sonhei com ela a noite inteira, eu sempre quis! (8)
E, todo mundo sabe como isso tem sido raro ultimamente… De qualquer forma, hoje acordei ligadão no 220, parece que eu tomei RED BULL, você já tomou RED BULL? Podemos tomar RED BULL depois, eu e você dividiremos uma latinha de RED BULL! RED BULL! RED BULL!  *-*
– sim, eu assisti ‘Sim, senhor’ ontem, de novo. É muito foda, vocês que lêem meu blog. Você, que está sentado agora, morrendo de frio, você já assistiu ‘Sim, senhor’? Se você não assistiu ainda, acabe de ler este post, deixe um coment’s leckalzinho e vá achar para baixar para a locadora mais proxima! É muito bom!

Enfim, como eu acordei felizinho, eu me resolvi por contar minhas aventuras de domingo (música do Indiana Jones de fundo). No outro post, aquele da tiazinhastyle, eu cheguei a falar que a gente só foi na festa no domingo a noite. Agora vocês vão saber o que eu fiz do meu domingo a tarde!
Bom, desde algumas incontáveis semanas atrás, eu estava indo toda noitinha estudar com o Nan e com o papis dele pro concurso da Caixa! E o concurso foi nesse domingo, nos meus planos, eu ia com o Nan e com a familia dele, mãas por última hora, meu tio (o Nino) que ia levar meu irmão pra fazer, também em Bauru, resolveu não ir mais, então, meu outro tio, falou que conhecia um cara e o cara conhecia muito bem Bauru, que ele fazia entregas por lá e tals. Por mim, tchudo bem! Eu ia levar meus cd’s mesmo, ia ouvir minhas músicas no caminho, pra mim, tudo feliz.

A prova era às 15 horas ( 3 da tarde, pra aqueles que demoram pra contar ), o combinado, era que o tiozinho, Fuul (esse é o nome dele, ou apelido, ou sei lá), estivesse aqui meio-dia. É uma hora de viagem e ia dar tempo de achar o local de prova, tudo tranquilo. Então, meio-dia, eu e meu irmão estavamos prontos, na cozinha da minha vó, esperando o Fuul chegar.
Ah, meu outro tio estava lá, o Neno. Eu presenciei uma conversa supimpa na hora do almoço! *-* Descobri que minha vó é dumall, tipo Chuck Norris versão fêmea mano! Ela contou que uma vez, com 15 anos, ela cavalgo num porco pela fazenda toda! Mano, minha vó ainda vai conquistar o mundo, sem zueira! *–* Ela matava porco na faquinha! =P
E meu tio Neno, falo que não consegue matar frangos, porque geralmente pra matar, as pessoas giram a cabeça do frango umas 3 vezes, como se tivesse rodando bolsinha. Ele falo que não consegue… Porque ele sempre arranca a cabeça do frango antes da segunda volta. O.o
Dai, eu descobri que minha priminha, pequena, tentou matar um frango girando ele pelo pé! O.o
Enfim, eu amo essas conversas produtivas na hora do almoço… E eu descubro porque sou assim, afinal de contas. =x

Então, era 1 hora da tarde e o Fuul num tinha chegado ainda. Minha familia toda no portão de casa esperando, pra assim que ele chegar a gente ir rápido. Eis, que começa a subir a rua um tiozinho cambaleando, vem trupicando, se apoiando nas árvores. E minha familia toda olhando. O tiozinho ia chegando mais perto, minha familia ia olhando. E então ele para na nossa frente. Comendo uma paçoquinhasuperstyle, com cara de quem não dorme faz 39 anos, ele dá uma mordida na paçoca e fala algo assim:
– Eul dhemoreish, porrke tavaa vimdul e vi quiy esquexhi minhaa karterra.
Minha mãe quase teve gatinhos. *—-*
Se eu não estivesse destinado a morrer na mão daquele tio, eu juro que eu ia rolar de rir ali mesmo. Mãas, como minha vida estava em risco, eu me concentrei em ficar sério.
Eu sei, que 15 minutos depois estavamos saindo de Brotas, com um mapa de Bauru na mão, ouvindo Abril e com o Nino dirigindo. Foi ultra emocionante! Chegamos em Jaú  em 15 minutos. E ainda não sabiamos se ia dar tempo, porque ninguém ali conhecia Bauru. E, pra vocês verem como as coisas são, o Nino errou a entrada de Bauru. ahushaush
Agora, imaginem um cara azarado, eu, se fosse o Nino, nunca ia jogar na mega-sena! Nunca! Sério mesmo. Já em Bauru, quando a gente não sabia pra onde ir, a gente falava pra ele escolher um caminho até a gente se achar. TODAS as vezes ele escolhia o caminho errado. Sem falar do meu pai, ligando no meu celular falando pra a gente chamar um táxi caso estivessemos perdidos, DEEER, é lógico que a gente tava perdido. Mas não desistimos! =P
Ah, vocês vão pensar: porque não pediram informação. Mas é claro que nós pedimos, que vocês pensam que nós somos? O Nino parou o carro numa esquina e eu enfim descobri porque algumas pessoas tem medo de palhaço. Tinha um tiozinho gordo, vestido de palhaço, com cara de mau, certeza que ele queria estar em qualquer lugar menos ali. E perguntamos pro palhaço onde estavamos, ele não soube responder, acho que ele quis matar a gente. =x Ele parecia o palhaço do Spawn. Acho que no fundo ele sonhava em ser o mágico do circo, ou a mulher barbada.
Enfim, achamos a Usc (onde eu ia fazer a prova), era 2:30. Mas eu não sabia onde era a entrada e o Nino precisava levar meu irmão. Então eu desci do carro e andei mais uns 3842703 km, até a entrada, quase morri de tanto andar – mentira. Mas eu andei um poquinho sim, junto com uma menina style que também tava perdida, mas ela tava pior que eu, ela nem sabia o bloco dela, o meu era o K. =P
Às 3 e pouco eu estava sentando na minha cadeira, lindo e loiro para fazer a prova…

Satisfeito por minha burrice não ser tão grande quanto eu imaginava. Acabei a prova e quando eu pisei na rua, eu olho pra frente e lá esta a Carol e o pai dela! *-* Pelo menos eu tinha um jeito mais leckalzinho de voltar, avisei meu tio pelo cel e entrei no carro! =P
Daí foi mais tranquilo, a gente se perdeu um pouco e foi parar no morro de Bauru, deu medo mano, não tinha nem luz nas ruas. =x Aaah, eu preciso dizer! Não foi eu quem deu a brexa do dia! No shopis a Carol derrubou a placa do Bob’s, o Nan quase deitou no chão de tanto rir. E o pior é que todo mundo pensou que era eu quem tinha derrubado… Mas cara, eu ri muito! *—*

E voltamos pra Brotas, ouvindo Jovem Pan, as amarguras de um cara que tinha ido na boate gay com a namorada. Ele beijou outro cara e depois ficou bravinho porque ela termino com ele! E fica putinho porque ela fala que ele é gay… Puta falta de sacanagem isso. Aposto que ele tinha a pulseira… hauhsuhas

Chega disso, post enorme… =x
Cansei de escrever, twitcam mais tarde!
Vou lá agora ouvir um restartii s2 s2 som de homem.

força sempre.

Anúncios


5 Responses to “Desventuras em bauru, à 220 baby.”

  1. 1 Biah

    kkkkkkkkkkkkkkk
    que tarde em meu amigo.

    pelo menos espero que tenha ido bem na prova!

  2. (woiehwioehiowhioehi)³

    PORRA, eu ri muito lendo, sério.
    :S

  3. 3 Carol

    porra Danilo, num mente. foi você que derrubo (6) UIHASUIHSAIUH
    foi fódaaa x)

  4. Bem eletrico mesmo !!! nosssa
    A maneira escritas das coisas bem eletrico mesmo orra aaah se eu acordesse assim todo dia
    hahahahahaha

  5. Que rolê foda hein.UASHASUASHUSAH

    Tava animado hein? ^^


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: