Archive for janeiro, 2010

+

30jan10

É só juntar, o não querer sentir, com o não querer pensar. E o que sobrar, é o que resta ( entre eu e você). É só somar as parcelas, aquelas que deixamos pra trás, porque ficaram guardadas na gaveta. Soma todas as antecedentes, somos todos uns ascendentes. É só somar o meu medo, com a […]


Acidental.

25jan10

Diferente, pra sempre. Tipo história de amor, sabe? Daquelas bem vividas e que emocionam a platéia quando a cortina se fecha, o povo aplaude de pé e volta pra casa com a cabeça revirada, chega em casa e conta pra vó, e na hora de dormir, quando fecha os olhos pensa que talvez seja hora […]


24jan10

eu ia postar umas coisas hoje, mais to muito confuso, então dexa pra amanhã. Música pra antes de dormir. Eu gosto dessa, pra mim, fala sobre seguir em frente, mesmo que tudo aconteça e ninguém entenda, agente ainda segue em frente com um pouco do melhor de nós mesmos. ”…juro que esperei você ligar, esperei […]


As vezes agente sente e não diz, as vezes agente quer chorar e sorri, ou não sabe a quem correr, já que a vida das pessoas sempre parece mais tão feliz do que a nossa, então porque minha tristeza vai atrapalhar tudo? As vezes agente volta pra casa com a mão no bolso e a […]


19jan10

faz assim, desenha um parque pra mim. E vem brincar até  sua mãe chamar.  (D.O.D) – sempre gostei desse trecho, me soa como uma busca por um cantinho, mais calmo, mais tão meu e seu. Por um lugar pra ser feliz, mesmo que temporário, mesmo que vá embora tão rápido.


Já era tarde, 02h15min da madrugada para ser especifico, e um medo agonizante tomava conta de mim. Mas parecia sonho, os pingos batiam em minha janela, a chuva anunciava calmaria para essa noite. Eu mais que do que nunca me senti só, depois de tanto tempo, eu me senti só, era um solidão diferente, a […]


     ‘…hoje é mais um dia, eu abro os braços e não te encontro mais aqui. Eu ando meio sem atenção. Lembro que me disse algo sobre ir viajar, eu preciso de um sinal. Eu preciso relaxar e saber que entre nós não há nada. Não há nada…”Não há nada”, eu repito pra mim mesmo […]