Quarto

18fev19

Duas da manhã,

Você respira do meu lado

E eu queria estar em mesmo nos seus bolsos ou dentro da sua cabeça.

Acho que o tempo parou

Em qualquer lugar entre o ventilador de teto,

A janela entreaberta e os meus pés no chão frio

Na verdade eu me perco entre seus objetos

E cochilo nas cores das suas paredes

Enquanto decoro a sequência de cores com que você guarda suas roupas.

Pensando mesmo é na sorte

Que todas as minhas manias e loucuras

Tenham se afinado com as suas.

E as coisas que me afligem continuam por aqui da mesma forma

Mas quando você segura minha mão

A blusa fica mais quente antes do inverno chegar.

E isso faz toda diferença.

Talvez eu deva te contar isso quando você acordar,

Ou só deixar isso como um bilhete na gaveta pra você ver qualquer hora.

Anúncios

você olha pra mim,
olha pra mim assim
e grita contra o vento
e eu penso em acelerar pra ir mais depressa
mas eu não quero chegar mais depressa
quero o seu sapato virado do lado da minha cama
quero a sua risada pintando a minha semana
os seus sons dominando o quarto
e a minha memória que te pinta num retrato,
eu passaria minha vida toda
ficaria tudo bem.


eu estou no mesmo lugar
minhas mãos estão no mesmo lugar
meus dedos te procuram pela casa
e eles são meus
como minha boca é minha
meus ombros são meus
meus pés são meus

assim como você não me pertence
e eu te assisto de longe
gosto de te ver assim, dominando a cidade
o mundo na ponta de seus dedos

minhas orelhas são minhas
meu nariz é meu
meus joelhos são meus
mas eu não,
eu sou seu. 


fiquei em silêncio esperando o mundo terminar
não tinha nenhum passo de dança bonito
e eu nem tinha roupa boa pra usar
acho que na verdade só queria sua companhia.

te contei do meu medo de água e do meu medo de altura
falei que tinha medo de avião
e medo de não ser nem metade do que eu queria.

porque quando a cidade cresce
e meus olhos ficam tão cheios que fica até difícil de te ver
é quando eu mais te procuro
pra sentar a noite por aqui e a gente contar uns vaga-lumes.

estrelas que preenchem os céus e alguns filmes repetidos
a sua voz me canta tão bonito
e eu queria tanto te contar da minha última semana.

mas eu só fiquei em silêncio, esperando o mundo terminar
e os aplausos eram tão altos que eu tampei meus ouvidos
e você estava do outro lado da sala ou em outra cidade
nunca fui bom com distâncias, mas queria mesmo sua companhia.


contei pra noite que não te vi passar
ela disse que você me viu
e que acha pode me deixar ficar
vou repousar no seu cabelo

depois falei que tinha um universo
que girava ao seu redor
e vinha me buscar às vezes 
só pra não me deixar enlouquecer

quando tive pressa
prometi pra mim mesmo que não ia atropelar nós dois
sendo assim fiz um café
pra te esperar e fiz a sala e o sofá

e quando eu olho pros seus, pros meus pés
é só pra ver se a gente cabe
no mesmo lugar
no mesmo espaço da vida apertada


Tomara que você tenha feito alguns planos melhores do que os meus

Porque você me deixa tão cansado

E as luzes não vieram esse ano

E é uma droga como você deixa a nossa pior parte tão exposta.

Na verdade mesmo eu queria dormir bem

E não lembrar dessa música do fall out boy que eu cantava alguns natais atrás

Queria ser outra pessoa em outro lugar

E definitivamente não ouvir a sua voz.

Mas eu odeio mesmo

O quanto eu me sinto uma má pessoa por me sentir assim.

 


eu sempre fico em silêncio quando não sei o que dizer. e isso nunca fica mais fácil. acho que quando a gente cresce, a gente vai aprendendo o momento certo de algumas coisas. como a ignorar umas pessoas que falam tanto que até dói nossa cabeça, ou a contar nossos planos só pra algumas pessoas. e junto a gente conta todas as coisas boas. as ruins ficam pra depois, pra um dia bem bonito quando elas parecerem bem menores. eu tento manter todo mundo que eu gosto bem mais perto. e pensei em te chamar pra aparecer por aqui. ver umas luzes, ouvir umas músicas, contar o tempo que passa por nós e nem faz barulho. pensei que você poderia me levar pra dançar. e eu te beijaria no final, se você quisesse. eu te contaria dos rabiscos de desenho que eu fazia na parede do meu quarto e que na verdade eram só planos pra qualquer bobagem que ficasse na minha cabeça. eu vou te colocar nos meus planos pro ano que vem. junto com me exercitar mais, comer melhor e achar algum rumo pra minha vida. eu queria escrever. não só sobre você como sempre tenho feito. mas sobre tudo. eu nunca fui de fazer planos na verdade, mas agora tenho feito alguns. deve ser o tipo de coisa que a gente faz quando envelhece. envelhecer me deixa meio inquieto. sorte que as vezes você me lembra de respirar e manter meus pés no chão. mas é bem engraçado isso, porque quando encosto em você eu com certeza alcanço qualquer lugar mais alto do que o céu. eu não faço sentido. eu sei. mas eu queria ir contigo. pra qualquer lugar que você for, me leva com você. pra qualquer lugar tão longe, tão rápido quanto te vejo piscar pra mim e sorrir, vamos acender as luzes de outra cidade. vai estar tudo bem, se você me levar pra qualquer lugar com você. 




Arquivos