me vi no seu porta-retrato
e me achei tão feliz
que vim te deixar um recado

um poema mirradinho
sobre suas cores, coisas e cheiros
só pra eu lembrar como tá tudo:
discos, espelho, sapatos, livros

e a cada 2 minutos
uma olhadinha pro relógio
só esperando ele te trazer de volta

quanto será que a gente consegue sorrir sem ter dor nas bochechas?
posso contar sobre isso qualquer hora

Anúncios

sábado a noite.

a gente se deu tão bem, que o tempo tirou a gente pra dançar
assim eu te olhava do outro lado da sala
com o copo entre os dedos e meu coração sorridente em suas mãos,
eu queria alguma coisa entre meus dedos
queria que fosse você entre meu dedos.
mas agora eu já sei das piadas do seu pai,
e das histórias da sua vó
já sinto como se tivesse um retratinho meu dependurado na estante da sala.
e todos os nomes ganharam rostos
e depois ganharam vozes e sorrisos
mesmo sem conhecer todo mundo, fechei os olhos estando em casa.
fiquei paralisado quando uma alegria infinita me chamou pra sair,
vesti minha camiseta favorita
e me atirei sem nem pensar pra debaixo dos seus cabelos.
quando acordei de manhã vi o sol preguiçoso na sua janela
e eu que vivia em guerra até comigo mesmo
declarei paz a tudo, até a quem não me quer bem
senti que, devagarzinho, o mundo virava um lugar melhor.

e quando todo mundo me pede pra cuidar de você
eu penso que é uma bobagem e que eles nem sabem que na verdade
você que vem cuidando tão bem de mim.


outra cidade

04abr19

eu abri os olhos como um guarda-chuva
quando o verão foi embora
mas por descuido te deixou aqui mais perto

aprendi as cores do seu quarto
as horas das semanas ao seu lado
e o sol no piso frio de manhã

quase torci pra você esquecer alguma coisa
qualquer coisa, aqui em casa
só pra vir mais cedo buscar

ou só pra eu ter alguma coisa sua pra eu guardar
e misturar com as minhas coisas
só pra ver como fica


Quarto

18fev19

Duas da manhã,

Você respira do meu lado

E eu queria estar em mesmo nos seus bolsos ou dentro da sua cabeça.

Acho que o tempo parou

Em qualquer lugar entre o ventilador de teto,

A janela entreaberta e os meus pés no chão frio

Na verdade eu me perco entre seus objetos

E cochilo nas cores das suas paredes

Enquanto decoro a sequência de cores com que você guarda suas roupas.

Pensando mesmo é na sorte

Que todas as minhas manias e loucuras

Tenham se afinado com as suas.

E as coisas que me afligem continuam por aqui da mesma forma

Mas quando você segura minha mão

A blusa fica mais quente antes do inverno chegar.

E isso faz toda diferença.

Talvez eu deva te contar isso quando você acordar,

Ou só deixar isso como um bilhete na gaveta pra você ver qualquer hora.


você olha pra mim,
olha pra mim assim
e grita contra o vento
e eu penso em acelerar pra ir mais depressa
mas eu não quero chegar mais depressa
quero o seu sapato virado do lado da minha cama
quero a sua risada pintando a minha semana
os seus sons dominando o quarto
e a minha memória que te pinta num retrato,
eu passaria minha vida toda
ficaria tudo bem.


eu estou no mesmo lugar
minhas mãos estão no mesmo lugar
meus dedos te procuram pela casa
e eles são meus
como minha boca é minha
meus ombros são meus
meus pés são meus

assim como você não me pertence
e eu te assisto de longe
gosto de te ver assim, dominando a cidade
o mundo na ponta de seus dedos

minhas orelhas são minhas
meu nariz é meu
meus joelhos são meus
mas eu não,
eu sou seu. 


fiquei em silêncio esperando o mundo terminar
não tinha nenhum passo de dança bonito
e eu nem tinha roupa boa pra usar
acho que na verdade só queria sua companhia.

te contei do meu medo de água e do meu medo de altura
falei que tinha medo de avião
e medo de não ser nem metade do que eu queria.

porque quando a cidade cresce
e meus olhos ficam tão cheios que fica até difícil de te ver
é quando eu mais te procuro
pra sentar a noite por aqui e a gente contar uns vaga-lumes.

estrelas que preenchem os céus e alguns filmes repetidos
a sua voz me canta tão bonito
e eu queria tanto te contar da minha última semana.

mas eu só fiquei em silêncio, esperando o mundo terminar
e os aplausos eram tão altos que eu tampei meus ouvidos
e você estava do outro lado da sala ou em outra cidade
nunca fui bom com distâncias, mas queria mesmo sua companhia.




Arquivos