Poema do sol

01out19

eu era pequeno demais 
e minhas mãos só alcançavam a borda da janela,
pra tentar olhar além
eu me dependurava com os pés escalando na parede
até cansar.
então eu só olhava a luz do sol
e forçava a vista pra ver a poeira 
contando as cores que fazia na parede da sala.

eu era pequeno demais
e às vezes tinha medo quando o carro ia tão depressa
mas eu gostava do vento
e da sensação de ir pra outro lugar.

eu era pequeno demais
e lembro que tentei olhar pro sol uma vez,
lembro que a gente tinha uma lupa
e dava pra queimar folha seca
mas eu tinha dó de queimar formiga. 

eu era pequeno demais
e adorava acordar cedo,
pra ter a casa só pra mim
pra acordar com o sol no piso da cozinha
e juntar meus brinquedos ao meu redor
antes do barulho do dia.

eu era pequeno demais
e a professora da primeira série
me disse que eu um dia eu seria um poeta.
eu nunca esqueci disso.
e eu nunca parei de observar o sol.

Anúncios

Esse texto tem um título auto-explicativo. Porque eu comecei a ler meu blog logo depois do almoço e vi que antes eu fazia muito isso de conversar por aqui e falar como andava a vida e o que eu fazia com meus planos. A diferença é que antes mais pessoas liam. Agora nem sei mais. Não tem problema.

Mas deu vontade de falar sobre as coisas.

O engraçado é que antes acho que eu fazia uns textos inspiradores e eu não sei como esse aqui vai ser, porque não tô planejando nada. Só quero contar como tá minha cabeça.

Aliás, ontem a Natália me mandou um vídeo de um cara falando sobre o Chico Bento, em algum momento desse vídeo o cara fala que o personagem Surfista Prateado era uma forma da esposa do Stan Lee saber como estavam as coisas na cabeça dele. Achei isso ótimo e sincero. E não sei porque falei sobre isso agora. Enfim…

Eu terminei a faculdade de cinema e agora eu não sei mais o que isso quer dizer. E não falo isso de forma triste, porque cinema é meio que um amor da minha vida. Mas acho que fui trocando umas coisas de lugar, arrastando uns móveis e gosto muito da cara que tá ficando.
Trocar as coisas de lugar me parece importante.
A Natália às vezes me mostra uns vídeos de decoração. Na verdade, acho que ela me mostrou uma vez ou outra e o resto das vezes eu vi sozinho depois.
O que importa é a forma como as coisas ficam quando a gente olha pra elas.

Eu parei de comer carne. Faz 2 meses. E me sinto uma pessoa melhor. Não sei se eu deveria dizer isso, mas é a verdade. Se eu pudesse dar qualquer conselho agora eu diria para vocês cuidarem dos animais. E das pessoas. O resto dá um jeito depois.

O Latino Americano começou a funcionar. E eu adoro falar sobre isso, até dentro da caminha cabeça. Latino Americano é um plano meu e da Natália, de fazermos lanches veganos e com um preço bem legal pra todo mundo poder pedir. Por enquanto é só em Araraquara, mas quem sabe logo mais?

Acho bem doido isso. Dos planos pra longe, dos planos pra perto e das coisas que a gente deixa acontecer sem muito plano. Porque a gente têm a mania de pensar que as coisas estão sempre acontecendo na hora errada, como se estivéssemos sempre atrasados. Mas hoje, enquanto dirigia o carro pra ir almoçar, me peguei pensando que todo o tempo do mundo existe, e que bobagem eu ficar teimando em acelerar tanto.
E isso me lembra que na terça fiquei 1 hora numa sala de espera num médico. E as salas de espera só me apressam mais. Talvez sejam as revistas, ou o quadros que não fazem sentido, ou as luzes.
Mas eu ouvi ‘vermelho’ do Marcelo Camelo e percebi que talvez não exista música tão minha.

Acho engraçado porque quando eu era mais novo eu tinha isso de ter coisas favoritas.
Vermelho era minha cor favorita.
O doido disso tudo é que eu fui namorar a garota sem coisas favoritas.

O mais legal disso é que muita coisa parece cada vez mais legal. E acho que cada vez mais a gente tem mais coisa boa pra contar. E tenho pensado se a vida não é sobre essas coisas. Sabe? Encontrar alguém legal e que dê uma sacudida no seu mundo, fazer uns planos, e deixar a pressa pra depois.

Você é aquilo que te faz feliz de verdade.


quando eu te vejo eu fico com vontade de dançar.
e às vezes eu faço isso
às vezes eu te puxo pra dançar comigo
às vezes você me ensina a dançar contigo.
a gente dança bem,
modéstia a parte,
no nosso ritmo preguiçoso
de acordar mais cedo
trocar de roupa, escovar os dentes, fazer panqueca de banana
e arrumar um dia bonito
entre as curvas dançantes do seu sorriso.
porque só assim que a gente sabe viver.

dia desses eu entendi que gosto de você como pessoa
e isso é maior do que eu posso contar e bem maior do que parece.
porque gostar como pessoa inclui toda a bagunça
e confusão e alegrias e dias tristes e segredos e sonhos,
por isso fiz uma estante bonita no quanto do quarto da nossa casa
e deixei um espacinho pra cada coisa nossa ter seu lugar.

a gente se perde às vezes
mas só por descuido, a gente é meio distraído

mas a gente nunca tá sozinho
porque se o mundo acabar qualquer hora
a gente já vai estar muito além.


te acho tão bonita
como uma manhã preguiçosa
onde a gente só levanta pra jogar água nas plantas
mas volta correndo pra cama
pra não deixar o coberto nem esfriar.
e te falo de uma coisa que pensei esses dias
que não é pra você reparar
mas ando com uma vontade de te olhar pra sempre.
então eu tiro foto de cada sorriso seu
ainda mais quando tá distraída assim
e eu quero mesmo é me debruçar pra te dar um beijo.
te acho tão bonita
mas você me acharia tão esquisito
se eu te falasse isso sempre que tenho vontade de falar,
então eu só fiz um acordo com o tempo
pra ele passar mais devagar quando eu pedir
e me deixar repousar como uma borboleta em seu ombro
pra eu bater as asas em suas bochechas.
te acho tão bonita
que esses dias apaguei todas as luzes da cidade
e eu vi o sol morder o seu cabelo
mas só de inveja de você que brilha tanto,
e minha pele que muda de cor
e a saudade que veio me visitar essa semana
e todas as coisas grandes e pequenas que me levam até você
que me fazem fechar os olhos pra sorrir
e abraçam meu coração
dizendo baixinho o quanto você é tão bonita.


humano

16jul19

primeiro precisa se perceber
olhar suas mãos, seus dedos, seus dentes
e depois ir mais fundo
pra olhar por tudo, sem prender a respiração
e sem medo.

talvez doa, talvez leve um tempo
as coisas podem ficar confusas
mas vai passar.

fui trocando algumas certezas de lugar
mas tive sorte, tenho uma sorte absurda.

porque somos humanos, tropeçamos
trombamos na parede
fazemos tempestade e nos perdemos.

e pra onde vamos?
eu quero conquistar o mundo
quero fincar uma bandeira do outro lado do oceano
mas deitar a noite dentro das paredes do meu quarto.
nunca tive jeito pra rei
nem vocação fixa na verdade
só me sinto poeta.

vou te falar da cidade, do tempo e da saudade
vou enlouquecer, mas só um pouco e de vez em quando
vou errar algumas vezes e talvez errar de novo depois
vou te falar toda verdade que estiver por aqui
vou te contar sempre que eu me apaixonar por você
vou ser absolutamente feliz
vou pra qualquer lugar que você for, só você pedir.


casa

12jul19

existe um sol
do outro lado dessa casa.
se você der a volta na hora certa
dá pra ver o sol
fazendo desenhos na parede
e é engraçado como faz
um barulhinho gostoso de ouvir.

fazia tempo que eu não contava
as cores do céu.
fazia tempo que eu não respirava tão tranquilo
ou escrevia uma música
ou te amava tão sem pressa.

vou te fazer um bolo de canela
pra você tomar com café,
e a gente deixa a tarde arranhar
os discos que a gente gosta de tentar adivinhar
os barulhos que eles têm.

eu quero me jogar além desse céu
só por capricho
e porque quero estar em outro lugar
mas volto pra te levar comigo
porque outro lugar fica mais legal com você.


percebi que te amava quando o sol foi te beijar de manhã
não lembro quando foi, mas o tempo parou na luz que vinha da janela
e eu percebi que te amava com uma calma consciente

perceber que te amava me deu um medo
não um medo ruim, como a gente têm das coisas que ficam no escuro,
mas um medo que formiga na barriga,
como quando a gente acorda num dia que sabe que vai ser importante.

tirei uma foto sua pra colocar num retratinho
pra te deixar marcada na minha retina, 
pra que você perceba, sempre que eu te olhar
todo amor que tenho percebido por aqui também.

percebi que te amava e toda vez que você diz que me ama também
eu explodo de dentro pra fora e viro o céu do avesso
por que você fica linda dentro desse azul infinito
e eu nunca vou parar de te olhar.




Arquivos